Desocupados


 (man-937665_960_720Mt. 20:1-6) “Porque o reino dos céus é semelhante a um homem, pai de família, que saiu pela manhã a contratar trabalhadores para a sua vinha. E tendo ajustado com os trabalhadores por um denário ao dia, enviou-os para a sua vinha. Saindo perto da terceira hora, viu outros que estavam no lugar desocupados; e lhes disse: Vão também vós para a minha vinha, e lhes darei o que seja justo. E eles foram. Saiu outra vez perto da sexta hora e da nona, e fez o mesmo. E saindo perto da décima primeira hora…”

Os Hebreus dividiam o dia em doze horas, do amanhecer até o ocaso. Então, aqui faltava uma hora para que acabasse o dia de trabalho, exatamente o memento em que o dono da vinha “…achou outros que estavam desocupados; e lhes disse: por que estais aqui todo o dia desocupados?”.

A vinha representa a obra que o Senhor nos designou. Se estivermos fora da vinha, estamos desocupados. Como Deus considera nossa vida fora da vinha? Não importa quantas coisas façamos para nós mesmos, quantos planos desenvolvemos, até mesmo ministérios criamos ou quanta riqueza acumulemos. Para Deus, este é um tempo desocupado, sem proveito, sem fruto. É um tempo que não conta, não existe.

A vinha do Senhor é o nosso campo de trabalho. Somente investindo nosso tempo nela podemos ser achado úteis, ocupados, dando fruto. Isso não significa que tenhamos que deixar todas as nossas ocupações terrestres para nos dedicar à obra do Senhor em tempo integral. Não. Significa, simplesmente, estar no lugar que Deus quer, fazendo realmente o que Deus quer que façamos ou seja, no centro da vontade do Pai.

Você está no lugar certo ou está fora da vinha? Talvez considere que esteja fazendo muita obra para Deus, mas mesmo assim, pode estar fora da vinha. Lembra que é a

“Sua vinha, não nossa vinha, Seus trabalhos e não nossos trabalhos”.

Creio que isso acontece na vida de muitos homes de Deus. Pelo menos na minha vida foi assim. Quando estamos muito atarefados ou muito desgastados servindo ao Senhor, chega um momento em que nos cansamos e nos perguntamos: “Será que estou realmente fazendo a obra ou vontade de Deus?”. Esta pergunta pode gerar um grande conflito pois tudo o que fazemos fora da vinha é tempo perdido, é trabalho inútil, é obra sem valor para Deus !

Na parábola, esse dia de doze horas da manhã até a tarde representa a nossa vida. Se pensarmos que você pode estar na ultima hora de sua vida eu te pergunto:

Como você está agora?

Desocupado, fazendo muitas coisas pra você mesmo?

Está realmente servindo na vinha do Senhor?

Como está ocupando os seus dias?

Anúncios